Sistema de Consórcios em dezembro/2020: dados econômicos

05 . fev . 2021

2020 foi um ano desafiador para o Sistema de Consórcios. Depois de um excelente primeiro bimestre, a pandemia gerou natural insegurança – sentida pelo setor principalmente em abril. Ainda assim, a retomada veio de forma rápida e vigorosa, abrindo caminho para que o consórcio atingisse o maior volume de adesões dos últimos dez anos.

Dos seis segmentos, houve alta em cinco deles. Veículos leves, veículos pesados, imóveis, serviços e eletroeletrônicos. Todos, com crescimentos significativos. A exceção foi o consórcio de motocicletas, que manteve-se estável em relação ao total de cotas vendidas em 2019.

Confira os principais indicadores gerais do Sistema de Consórcios no acumulado de 2020:

Veja a seguir como ficou o desempenho de cada segmento do Sistema de Consórcios. Os dados referem-se ao acumulado entre janeiro e dezembro de 2020. Eles foram compilados pela assessoria econômica da ABAC e estão comparados com o acumulado em 2019.

Quer entender melhor os números do Sistema de Consórcios? Leia o post abaixo antes de continuar:

Consórcio de Veículos Leves:

As mais de 1,3 milhão de adesões de 2020 fizeram com que o consórcio de veículos leves permanecesse sendo o principal segmento do Sistema de Consórcios. Em abril, em razão da pandemia, foi registrada a menor quantidade, com a venda de 53,76 mil novas cotas. Porém, houve recuperação nos meses seguintes até que fosse registrado o recorde anual, de 158,02 mil cotas, em setembro.

Consórcio de Motocicletas:

As adesões ao consórcio de motocicletas ficaram estável em 2020. Porém, a valorização acima de 30% no tíquete médio fez com que o total de créditos comercializados crescesse no mesmo patamar. Foram quase R$ 15 bilhões, ante cerca de R$ 11,3 bilhões do ano anterior.

Consórcio de Veículos Pesados:

Todos os indicadores do consórcio de veículos pesados registraram alta em 2020. Com a alta de 20% no tíquete-médio – o maior de todo o Sistema de Consórcios, e a expansão de 14,7% na venda de cotas, o faturamento do segmento fechou acima de R$ 21 bilhões, ante R$ 15,28 bilhões em 2019.

Consórcio de Imóveis:

No encerramento de 2020, o consórcio de imóveis manteve-se com mais de 1 milhão de participantes ativos – marca alcançada pela primeira vez na história no mês de novembro, quando atingiu 1,02 milhão. Nesse segmento, que tem entre seus diferenciais a possibilidade de uso do saldo do FGTS, 3.396 consorciados-trabalhadores utilizaram R$ 166,09 milhões em recursos do fundo, de acordo com o Gepas/Caixa.

Consórcio de Serviços:

Todos os seis principais indicadores do segmento fecharam em alta no acumulado de 2020. Vale destacar o total de créditos comercializados, que é a soma dos valores dos novos contratos firmados no ano. Pela primeira vez, desde que foi criado, há mais de uma década, ultrapassou a casa de R$ 1 bilhão.

Consórcio de Eletroeletrônicos:

A marca de 121 mil consorciados ativos em dezembro foi a melhor do segmento nos últimos dez anos. O principal destaque ficou entre os créditos disponibilizados. Encerrou 2020 mais que dobrando em relação aos R$ 82,5 milhões disponibilizados ao longo de 2019.

Categoria(s):

Drops de Mercado

Tag(s):

, , , ,

Deixe seu comentário

Receba novidades



    ENVIE SUGESTÕES
    DE POSTAGENS