Consórcio de motos chega a 2,87 milhões de participantes ativos

08 . fev . 2024

O número de participantes em grupos do consórcio de motos encerrou 2023 em alta no país. No mês de dezembro, havia 2,87 milhões de consorciados ativos no segmento, o que representou alta de 9,9% ante os 2,61 milhões de um ano antes. Confira neste post mais detalhes sobre o desempenho do segmento no acumulado de 2023, disponibilizados pela assessoria econômica da ABAC.

Ao longo do último ano, o consórcio de motos chegou a engatar uma sequência de 13 meses consecutivos de crescimento em participantes ativos. Isso aconteceu em julho de 2023, num período de alta que iniciou em julho de 2022. Depois, nos meses de agosto e setembro, registrou retrações, mas voltou a crescer em outubro, quando consecutivamente, mês a mês, alcançou os três melhores resultados de 2023, fechando dezembro em alta.

Ainda sobre números de participantes ativos, o segmento de motos fica em 2º lugar no Sistema de Consórcios. Perde apenas para o consórcio de veículos leves, que assumiu a 1º posição em fevereiro de 2015 e a mantém desde então. Os 2,87 milhões de consorciados ativos em dezembro foram o melhor resultado desde setembro de 2015, ocasião em que havia 2,89 milhões. 

Os resultados do encerramento de 2023 representam quatro anos consecutivos de crescimento, considerando os meses de dezembro desde 2020. Além disso, deixaram o consórcio de motos perto de retornar ao patamar de 3 milhões de participantes ativos. A última vez que se alcançou este contingente foi entre março de 2014 e janeiro de 2015. O recorde histórico são os 3,06 milhões contabilizados em abril de 2014.

Tíquete médio do consórcio de motos aumenta

Entre os indicadores do Sistema de Consórcios, o de participantes ativos é o único cujas comparações são exclusivamente mensais. Outro, cuja média anual também é calculada, mas que a ABAC divulga com destaque para as variações mensais, é o tíquete médio. Ou seja, o valor médio da cota vendida – leia este post para entender melhor os números do Sistema de Consórcios.

Antes dos fechamentos dos dados de 2023, o melhor desempenho mensal do tíquete médio havia ocorrido em setembro de 2022, quando ficou em R$ 18.210. No ano de 2023, esse valor médio foi superado em diversas ocasiões, como nos meses de maio (R$ 18.270), novembro (R$ 18.527) e dezembro (R$ 18.524). Já em outubro, quando chegou a R$ 18.779, estabeleceu-se o novo valor recorde do tíquete médio do consórcio de motocicletas.

O valor médio anual, que ficou em R$ 18.066, representou alta de 7,5% ante a média de 2022, de R$ 16.809. E sugere ainda estabilidade na variação do valor médio da cota ao longo do ano, uma vez que elas ficaram entre os R$ 17.721, registrados em abril, ao recorde contabilizado em outubro, como mencionado acima.

Negócios avançam com alta no tíquete médio

Quando a alta no tíquete médio é combinada com crescimento nas vendas, o resultado é uma elevação considerável nos créditos contratados via consórcio. Em 2023, o segmento emendou o 3º ano consecutivo de alta nas vendas. Indo das 1,22 milhão adesões ocorridas em 2022, chegou a 1,27 milhão no acumulado de 12 meses de 2023 – aumento de 4%. 

Com a combinação das altas em tíquete médio e cotas vendidas, o chamado volume de créditos comercializados avançou 11,8%. Tornou-se, assim, o melhor resultado alcançado em 2023 pelo consórcio de motocicletas em seus indicadores. Esse total, que representa a soma dos valores de todas as cotas do consórcio de motos vendidas, chegou a R$ 22,95 bilhões. Em 2022, foram R$ 20,53 bilhões.

Sobre as vendas, é importante ressaltar que nos últimos cinco anos ela cresceu numa média de 4,7% ao ano. Além disso, estão há seis anos seguidos acima do patamar de 1 milhão de cotas vendidas no ano. O recorde anual pertence a 2012, ocasião em que as vendas chegaram a 1,35 milhão de cotas.

Na comparação mensal das vendas, chama a atenção o desempenho de agosto, quando foram vendidas 119.271 cotas – melhor mês de 2023. Foi o 5º melhor resultado mensal dos últimos 15 anos. Aqui, o melhor desempenho se deu em dezembro de 2012, quando foram vendidas 125.000 cotas. 

Já quanto aos créditos comercializados, estes seguem em alta desde 2017. Ou seja, são se anos crescendo seguidamente. Nos últimos cinco anos, esse volume mais do que dobrou. Outro fator que chamou a atenção no ano foram os volumes mensais deste indicador. Em quatro oportunidades, nos meses de março, maio, julho e agosto, ele ficou acima de R$ 2 bilhões – fato que não havia ocorrido até então.

Contemplações e créditos disponibilizados aceleram

Muito celebrados, os indicadores ligados às contemplações acompanharam os demais desempenhos e também fecharam em alta. Com quase 700 mil contemplados, foi o quarto ano consecutivo de alta. De 2022 para 2023, o contingente total de consorciados que receberam a oportunidade de adquirir seus bens foi de 671.773 para  696.916. Contabilizou, assim, alta de 3,7% e registrou o melhor resultado desde 2015.

Com a alta também no volume de créditos disponibilizados aos contemplados, o consórcio de motos encerrou o ano vendo todos os seus indicadores crescerem. Isso porque os R$ 12,59 bilhões disponibilizados em 2023 superaram em 11,4% os R$ 11,29 bilhões de 2022. Em termos percentuais, foi o 2º melhor resultado do consórcio de motocicletas, atrás apenas do resultado de créditos contratados. 

O quadro a seguir resume o desempenho do consórcio de motocicletas em 2023:

Série “O Sistema de Consórcios em 2023”

Estamos publicando uma série de posts trazendo os principais resultados alcançados pelo Sistema de Consórcios em 2023. Confira abaixo os textos que já estão no ar:

Categoria(s):

Drops de Mercado

Tag(s):

, , , , , , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba novidades





    ENVIE SUGESTÕES
    DE POSTAGENS