fbpx

Simulação: atualização da parcela do consórcio após contemplação

28 . ago . 2018

A atualização da parcela do consórcio após a contemplação é uma das dúvidas mais comuns entre os consorciados. Por isso, no post de hoje, vamos mostrar, com cálculos, por que essa atualização é fundamental para viabilizar as contemplações dos demais participantes do grupo. Acompanhe nossos exemplos e entenda como funciona.

Mostramos nos textos O valor da parcela do consórcio muda? e Já fui contemplado e o valor do crédito mudou. O que acontece? que o objetivo do consórcio é garantir que todos os participantes de um mesmo grupo possam adquirir o bem ou serviço desejado, nas mesmas condições. Assim, independentemente de quando ocorrer a contemplação, todos devem ter a quantia suficiente para realizar a compra, mesmo que esse valor tenha sido alterado.

Acompanhe as simulações abaixo para entender que a atualização das parcelas de todos é necessária e que não há saldo para o grupo ou para a administradora referente a isso.

Vamos supor que você participe de um grupo com as seguintes características:

  • Valor do crédito: R$ 20.000
  • Prazo de duração do grupo: 5 meses
  • Número de consorciados: 10 cotistas
  • Número de cotistas contemplados por Assembleia Geral Ordinária: 2

As contribuições no consórcio são calculadas em percentual sobre o valor do crédito (valor do bem ou serviço de referência no contrato). Assim, se o grupo com 10 cotistas precisa realizar 2 contemplações por assembleia, cada cotista deverá contribuir com 20% do valor do crédito (200% dividido por 10 cotistas).

No exemplo acima, 20% do valor do crédito corresponde a R$ 4.000 (R$ 20.000 x 20%). Isso significa que cada cotista deve contribuir com uma parcela de R$ 4.000 para que 2 cotistas sejam contemplados por assembleia.

1ª Assembleia Geral Ordinária

Dessa forma, a situação do grupo na 1ª assembleia é:

  • Valor da parcela: R$ 4.000
  • Valor arrecadado: R$ 40.000 (R$ 4.000 x 10 cotistas)
  • Valor necessário para contemplar 2 cotistas: R$ 40.000 (R$ 20.000 x 2)

2ª Assembleia Geral Ordinária

Partimos agora para a 2ª assembleia, quando o valor do crédito aumenta 3%, assim como a parcela de todos (contemplados e não-contemplados):

  • Número de cotistas contemplados: 2
  • Número de cotistas não contemplados: 8
  • Reajuste do crédito: 3% (20.000 x 3% = R$ 600)
  • Valor do crédito atualizado: R$ 20.600 (20.000 + 600)
  • Valor da parcela do consórcio atualizada: R$ 4.120 (20.600 x 20% do valor do crédito)
  • Valor arrecadado: R$ 41.200 (R$ 4.120 x 10 cotistas)
  • Valor necessário para contemplar mais 2 cotistas: R$ 41.200 (R$ 20.600 x 2)

Observe que todo o valor arrecadado com a atualização é utilizado para a contemplação dos 2 cotistas, não havendo qualquer sobra.

2ª Assembleia Geral Ordinária sem reajuste nas parcelas de todos

Agora veja o que aconteceria na 2ª assembleia se fossem reajustadas apenas as parcelas dos consorciados não contemplados:

  • Número de cotistas contemplados: 2
  • Número de cotistas não contemplados: 8
  • Reajuste do crédito: 3% (20.000 x 3% = R$ 600)
  • Valor do crédito atualizado: R$ 20.600 (20.000 + 600)
  • Valor da parcela do consórcio atualizada: R$ 4.120 (20.600 x 20% do valor do crédito)
  • Valor a ser arrecadado pelos 2 cotistas já contemplados, sem atualização da parcela: R$ 8.000 (R$ 4.000 x 2 cotistas)
  • Valor a ser arrecadado pelos 8 cotistas não contemplados, com atualização da parcela: R$ 32.960 (R$ 4.120 x 8 cotistas)
  • Valor arrecadado: R$ 40.960 (R$ 8.000 + R$ 32.960)
  • Valor necessário para contemplar mais 2 cotistas: R$ 41.200 (R$ 21.600 x 2)

Observe que com o valor arrecadado na situação acima, não seria possível contemplar 2 cotistas, pois faltariam R$ 240 (R$ 40.960 – R$ 41.200). E se os 2 contemplados na 2ª assembleia recebessem o valor arrecadado, eles não conseguiriam adquirir o bem ou serviço desejado, porque seria menor do que o necessário. Não seria justo, visto que eles contribuíram para a realização dos objetivos dos que já foram contemplados, não é mesmo?

Vale lembrar que consórcio é autofinanciamento, ou seja, os créditos concedidos são viabilizados com recursos dos próprios participantes. Sendo assim, a administradora é proibida por lei de utilizar recursos próprios. A diferença, em caso de atualização do crédito para mais, deve ser viabilizada pelos próprios participantes do grupo (contemplados e não contemplados). E como todo o valor arrecadado é utilizado para viabilizar contemplações, não há sobra alguma referente a essa atualização a ser devolvida ao fim do grupo.

IMPORTANTE!

Lembramos que nos exemplos acima foram considerados apenas valores referentes ao fundo comum. Há ainda cobrança da taxa de administração, e fundo de reserva e seguros, se constarem do contrato. Todos são calculados em percentual sobre o valor do crédito, por isso, aumentam proporcionalmente. Saiba como são calculadas as prestações do consórcio clicando aqui.

Consórcio é compra colaborativa!

É muito importante entender que consórcio é uma forma de compra colaborativa, em que todos contribuem para que todos possam realizar. Assim, se você já foi contemplado, só conseguiu alcançar seu objetivo porque todos contribuíram para que você recebesse o valor necessário. Agora você precisa contribuir para que os demais participantes recebam o necessário para alcançar os seus. A atualização do crédito e das parcelas é fundamental para garantir o poder de compra de todos, do início ao fim do grupo.

Caso tenha ficado alguma dúvida, fique à vontade para entrar em contato com a ABAC pelo e-mail falecom@abac.org.br, ou pelo telefone (11) 3231-5022. Estamos à disposição para atendê-lo!

Categoria(s):

Consórcio de A a Z

Tag(s):

, , ,

8 Comentários

  • muito produtivo.. amo o blog de vcs

  • Após a contemplação e faturamento do bem, o reajuste é baseado no saldo devedor? No caso de imóvel por exemplo, seguinte o INCC, após o reajuste o índice permanece o mesmo?

  • Sobre o aumento da parcela após 01 ano da contemplação é Permitido? Mas como o valor do bem aumenta no meu caso é rá específico para um veículo de um valor X. Como esse bem aumenta se na tabela FIP não. Qual a lógica deste aumento de bem se meu contratado foi um valor X?

    • Olá, Paulo.

      Como você pode ter observado ao ler a nossa matéria, mesmo que o consorciado tenha sido contemplado e utilizado o crédito, as prestações vincendas continuam sendo atualizadas, conforme estabelecido em contrato. Verifique no seu contrato qual é o critério adotado para a atualização das parcelas. Assim, caso a Tabela FIPE seja o critério de atualização adotado contratualmente e de fato não tenha ocorrido qualquer variação no preço do bem, não há razão para a mudança no valor das prestações. Para que possamos ajudá-lo, precisamos de mais informações sobre o seu caso. Por favor, entre em contato através do endereço de e-mail falecom@abac.org.br descrevendo novamente o seu questionamento, informando o nome da Administradora de consórcios e o número do grupo/cota.

      Abraço!

  • O problema é que quando o vendedor de consorcio nos vende a cota ele não nos explica que se formos contemplados e logo apos o veiculo referencia sair de linha ou for substituído por outro mais caro quem ja foi contemplado vai ter que pagar os reajustes de de valores, se isso ficasse esclarecido no ato da contratação seria justo pagar, mas fica omisso, então acho ilegal, o meu caso é que quando adquiri o consorcio a carta de credito era de 40.000,00 e o veiculo referencia era um fox volksvagem, ai fui conteplado apos 12 meses que adquiri o consorcio e peguei credito parcial de 32.000,00, passado alguns meses, sem me avisar o consorcio mudou o veiculo referencia que era um fox para um POLO MSI 1.6 no valor de 61.000,00 praticamente 20.000,00 a mais do valor do fox, sendo que o fox não saiu de linha e porque eles trocaram para o polo que custa 20.000,00 mais caro? sendo que o fox não saiu de linha, apenas o fox foi atualizado para o novo fox, eles deveriam ter continuado com o veiculo ref o polo, por isso que me sinto lesado e gostaria que se possível vcs olhassem o meu caso por favor. Desde já agradeço a atenção de vocês!

    • Olá, Antonio.

      Para que possamos ajudá-lo, precisamos de mais informações sobre o seu caso. Por favor, entre em contato através do endereço de e-mail falecom@abac.org.br descrevendo novamente o seu questionamento e informando o nome da Administradora de consórcios e o número do grupo/cota.

      Um abraço!

Deixe seu comentário

*

Receba novidades




ENVIE SUGESTÕES
DE POSTAGENS