Reserva de emergência: quando usar aquele dinheiro guardado

24 . nov . 2020

Ao longo de 2020, muitos brasileiros estão vivendo situações extraordinárias de perda ou diminuição significativa de renda. É em momentos assim que percebemos a importância de ter uma reserva de emergência. Nesse post, vamos te mostrar quando usar aquele dinheiro guardado e como calcular sua duração.

A reserva de emergência é um dinheiro guardado para fazer frente a algumas situações excepcionais, como a perda temporária de renda, doenças na família ou acidentes domésticos, por exemplo. Aqueles que possuem uma reserva de emergência podem fazer uso dela nesses momentos.

Como usar a reserva de emergência?

Primeiro, é importante tomar consciência da sua situação financeira atual – leia o post 5 passos para lidar com perda de renda. Assim, você conseguirá calcular o novo saldo, ou seja, suas receitas menos suas despesas. Caso o saldo seja negativo, pode valer a pena utilizar a reserva de emergência e é importante saber quanto tempo ela vai durar.

Vamos supor que você calculou que ficará negativo em R$ 250 todo mês e tenha uma reserva de emergência de R$ 2 mil. Nesse caso, dividindo o valor da sua reserva de emergência (R$ 2 mil) pelo quanto precisará retirar de sua reserva a cada mês (R$250), descobrimos que sua reserva vai durar 8 meses.

Por que poupar?

Poupança é a diferença entre as receitas e as despesas. Ou seja, a diferença entre tudo que ganhamos e tudo que gastamos. Isso é diferente de caderneta de poupança. Enquanto a poupança é uma sobra financeira e deve ser direcionada para algum tipo de investimento para que seja remunerada, a caderneta de poupança ou conta de poupança é um tipo de investimento.

Ao poupar, você acumula valores financeiros no presente para serem utilizados no futuro. Os valores poupados no presente e investidos durante um, dois ou mais anos poderão fazer uma diferença significativa na qualidade de vida do poupador no futuro. Assim, são vários os motivos para poupar: precaver-se diante de situações inesperadas, preparar para aposentar-se, realizar sonhos, entre outros.

Existem diversas estratégias para que você atinja o objetivo de poupar, como elaborar um orçamento, de ser um consumidor consciente, de utilizar o crédito de forma responsável e os juros a seu favor. Trata-se de estabelecer prioridades. Ao fazer isso, torna-se muito mais fácil incorporar o hábito de poupar.

Este post foi elaborado com informações do Banco Central do Brasil, disponibilizados no site Educação financeira em tempos de Covid-19.

Categoria(s):

Educação Financeira

Tag(s):

, , , ,

Deixe seu comentário

*

Receba novidades



    ENVIE SUGESTÕES
    DE POSTAGENS