Publicado em 7/06/2018 as 17:37H
Educação Financeira

Contas atrasadas são realidade para sete entre dez consumidores

Contas atrasadas foram uma realidade na vida de sete em cada dez brasileiros, em 2017. Segundo pesquisa, 70% dos consumidores deixaram de pagar ou pagaram com atraso pelo menos uma conta no ano passado.

O levantamento foi realizado pelo SPC Brasil e pela CNDL. Foram ouvidos 805 consumidores, com mais de 18 anos, de todas as classes sociais, nas 27 capitais. Entre as contas atrasadas, a mais comprometida em 2017 foi o cartão de crédito. Esse item foi apontado por 39% dos entrevistados. Em seguida, apareceram plano de internet (28%) e plano de celular e/ou telefone fixo (26%).

Pagar contas em dia é um dos pilares da boa educação financeira. Atrasando o pagamento, o consumidor desperdiça dinheiro pagando juros e multas. Por isso, é muito importante saber lidar com nossos compromissos rotineiras. Leia no post abaixo algumas dicas bem simples para te ajudar a se organizar evitar a ter contas atrasadas.

Pagar contas em dia: dicas úteis para se organizar

Contas atrasadas afetam saúde do brasileiro

Outra pesquisa do SPC Brasil mostrou como a situação de endividamento tem afetado a população. Quase sete em cada dez (69%) consumidores com contas atrasadas há mais de 90 dias relataram sofrer de ansiedade por contrair uma dívida. Porém, 71% da população revelou que não sabem de fato o que significa estar endividado. A maioria (43%) acredita que é uma pessoa com dívidas, contas em atraso ou sem pagar. Outros 28% pensam que é estar com o nome registrado em entidades de proteção ao crédito.

Qualquer pessoa deve se considerar envidada se possuir parcelas a vencer ou empréstimos feitos. De acordo com o estudo, apenas 24% dos consumidores tem consciência disso. “Sempre que alguém faz uma compra no cartão de crédito, até mesmo em uma única parcela, está assumindo uma dívida. O mesmo ocorre com carnês de lojas ou financiamentos. Não há problema nisso, desde que o consumidor esteja no controle e não ultrapasse suas condições de arcar com o pagamento das prestações acordadas”, explica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.
Endividamento excessivo

Inúmeras razões podem levar ao endividamento excessivo. Do consumo irresponsável, a uma má avaliação do orçamento doméstico. Da perda do emprego, ao salário que atrasa. Tenha em sempre em mente que evitar o endividamento é mais fácil que sair ele. Nesse post, conheça 20 dicas básicas para fugir dessa situação.

20 dicas para evitar o endividamento

A mudança de hábitos é fundamental para que o consumidor comece a ter uma vida financeira organizada. Planejar o consumo, requer a superação de diversos desafios. Porém, também oferece uma série de vantagens. Informe-se sobre os benefícios da educação financeira e realize todos os seus sonhos de consumo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*