fbpx

Como programar meu futuro financeiro?

27 . out . 2015

A juventude é uma etapa decisiva na vida. É o momento de escolher uma profissão, iniciar uma carreira, sair da casa dos pais, planejar uma nova vida familiar ou uma totalmente independente. Em cada uma dessas fases, o planejamento é fundamental para assegurar o futuro financeiro e uma boa qualidade de vida.

Porém, de acordo com Mauro Calil, educador financeiro da Consultoria Calil & Calil, o planejamento financeiro ainda não é uma preocupação entre a maioria dos jovens, o que pode comprometer a realização de alguns planos futuros.

Para falar mais sobre esse assunto e dar dicas para que os jovens possam se programar financeiramente, o Blog da ABAC conversou com o especialista. Confira a entrevista:

Em sua opinião, qual é a relação dos jovens com o planejamento financeiro?

A juventude é a fase ideal para construir um futuro financeiro que traga uma boa qualidade de vida. Porém, infelizmente, a maior parte dos jovens ainda não está atenta a essa necessidade de administrar suas finanças para programar seu futuro, pois estão preocupados apenas com o agora, sem pensar muito em fatores importantes que parecem distantes, como a aposentadoria, por exemplo. E o principal erro está no consumo exagerado e desmedido, já que muitos acabam gastando tudo o que ganham com artigos de moda.

Como os jovens poderiam contornar esse erro?

Acredito que uma boa maneira de controlar esse impulso esteja em criar maneiras de concentrar toda a sua energia financeira ao invés de dissipá-la. Ou seja, o jovem pode estabelecer um grande objetivo para si, como uma viagem de intercâmbio, a compra do primeiro carro ou até mesmo de um imóvel e, então, programar o uso do seu dinheiro para essa compra.

O consórcio poderia ser uma ferramenta para esse jovem conquistar esses objetivos pessoais?

Sim, pois esse é um bom mecanismo de compra bastante indicado para quem não tem reservas e nem a necessidade imediata do bem. Além disso, o consórcio pode ajudar a muitas pessoas a poupar dinheiro e a formar o patrimônio, como a aquisição de uma casa própria, por exemplo.

O senhor comentou sobre a aposentadoria. Com que idade o jovem deve começar a pensar nesse assunto?

A maioria das pessoas começa a se preocupar com a aposentadoria somente quando a idade avança. Porém, quanto antes pensarmos no assunto, melhor para o nosso futuro. Não seria cedo demais começar a planejar a aposentadoria aos 18 anos, por exemplo, quando o jovem geralmente entra para o mercado de trabalho, reservando uma pequena parcela do salário. Afinal, como sempre digo, o tempo é o senhor das finanças, ou seja, o pouquinho poupado por mês pode se tornar uma grande quantia mais tarde.

E, para os jovens que ainda contam com o apoio financeiro dos pais, qual seria o melhor caminho para buscar a independência financeira?

O primeiro passo, claro, é entrar para o mercado de trabalho para ter a própria renda. Uma vez com seu dinheiro, e ainda contando com o sustento dos pais, o jovem pode separar 30% do seu salário para fazer algum tipo de investimento ou programar a compra de um bem, por exemplo. Com outros 35%, ele poderia ajudar seus pais a pagar algumas contas da casa. E com os 35% restantes, ele poderia usar como quiser ou em outras necessidades.

Categoria(s):

Educação Financeira

Tag(s):

Deixe seu comentário

*

Receba novidades




ENVIE SUGESTÕES
DE POSTAGENS