fbpx

Cédulas e moedas: conhecer para preservar

13 . nov . 2019

​Dinheiro não dá em árvore – quem nos dera, não é mesmo? Então é preciso conhecer para saber como preservar e colocar as cédulas e as moedas para circular.

As notas e moedas do Real possuem características distintivas e elementos de segurança que facilitam a sua identificação e permitem detectar falsificações.​

Em alguns casos de danos (cédulas rasgadas, manchadas, ou rabiscadas), é possível trocá-las, mas as falsificações não são passíveis de substituição. Por isso, é fundamental que o usuário conheça bem o numerário para saber como agir em cada situação.​​

​Preserve o dinheiro

​O trabalho de manter as cédulas e as moedas novinhas começa com o cidadão, que todos os dia as manuseia. Cédulas rasgadas, manchadas ou rabiscadas oneram os cofres públicos, afinal fazer dinheiro custa dinheiro. O Real é patrimônio dos brasileiros, portanto deve ser bem cuidado.​

Por isso, não risque, não escreva, não grampeie, não amasse, não rasgue, não desenhe e não molhe as notas. Assim, haverá economia de gastos públicos e redução do impacto ambiental.​​

Moeda tem que circular

O BC busca emitir moedas em quantidade suficiente para atender às necessidades de troco no país. No entanto, algumas moedas saem prematuramente de circulação, ficando esquecidas em gavetas, bolsas e cofrinhos.

Ao mesmo tempo, essa retirada de circulação prematura (entesouramento) é verificada em todo o mundo. No Brasil, afeta aproximadamente 35% do total de moedas produzidas elevando gastos, provocando desperdício e impactando o meio ambiente

​Dessa forma, colocando suas moedas para circular, além de facilitar o troco e o fluxo de dinheiro na economia, você ajuda a reduzir os gastos públicos com reposição das moedas.

Sobre o real

Para as cédulas, ou notas, o Real possui as denominações R$1,00; R$2,00; R$5,00; R$10,00; R$20,00; R$50,00 e R$100,00. Já para as moedas o Real possui as denominações R$0,01; R$0,05; R$0,10; R$ 0,25; R$0,50 e R$1,00.

Além disso, há duas famílias do Real, tanto para notas como para moedas. A Primeira Família de notas e a Primeira Família de moedas foram lançadas em 1994. A segunda Família de moedas foi lançada em 1998 e a Segunda Família de cédulas começou a ser lançada em 2010.

Para saber como foram criadas as cédulas do Real, clique aqui.

Perguntas frequentes:

1) As pessoas, físicas ou jurídicas, são obrigadas a receber pagamentos em moeda metálica?
Sim, até 100 moedas de cada valor.

2) Elas também são obrigadas a receber cédulas rabiscadas, rasgadas e coladas e faltando pedaço?
Não. Toda cédula danificada só vale para ser depositada, trocada ou utilizada para pagamento em agência de qualquer banco comercial, que a enviará ao Banco Central para ser destruída.

3) Os bancos são obrigados a receber moedas metálicas até que limite?
Para pagamentos, até 100 moedas de cada valor. Para depósitos, devem receber a quantidade de moedas apresentada, sem limite.

4) Um pedaço de cédula tem valor?
Sim. Uma cédula que apresente nitidamente mais da metade do tamanho original em um único fragmento pode ser depositada diretamente em agência de qualquer banco comercial.

Saiba mais sobre cédulas inadequadas à circulação clicando aqui.​ ​

Por fim, aproveite para assistir ao vídeo abaixo e saber mais sobre emissão e circulação do dinheiro:

Texto produzido com informações do Banco Central do Brasil. A ABAC é parceira do BC nas ações em comemoração aos 25 anos do Real.

Categoria(s):

Educação Financeira

Tag(s):

Deixe seu comentário

*

Receba novidades




ENVIE SUGESTÕES
DE POSTAGENS