Publicado em 18/04/2017 as 11:00H
Consórcio de A a Z

Para que serve o fundo de reserva? 

No Sistema de Consórcios, a administradora pode solicitar ao consorciado o pagamento de uma quantia destinada a um fundo de proteção do grupo, chamado “fundo de reserva”. No post de hoje, saiba tudo sobre essa cobrança, que, se ocorrer, deve constar no contrato de adesão.

O fundo de reserva está previsto na Lei 11.795/08 (Lei dos Consórcios) e na circular 3432 do Banco Central, que diz que ele deve ser usado exclusivamente para as seguintes finalidades:

I – cobertura de eventual insuficiência de recursos do fundo comum;

II – pagamento de prêmio de seguro para cobertura de inadimplência de prestações de consorciados contemplados;

III – pagamento de despesas bancárias de responsabilidade exclusiva do grupo;

IV – pagamento de despesas e custos de adoção de medidas judiciais ou extrajudiciais com vistas ao recebimento de crédito do grupo;

V – contemplação, por sorteio, desde que não comprometida a utilização do fundo de reserva para as finalidades previstas nos incisos I a IV.

A cobrança de fundo de reserva é facultativa, cabendo à administradora avaliar e definir, antes da formação do grupo, se ela será realizada ou não. Se sim, o percentual devido deverá estar  fixado em contrato, visto que ele incidirá sobre o valor do bem ou serviço objeto do plano e irá compor a prestação do consórcio.

Para entender melhor como o fundo de reserva é cobrado, considere o seguinte exemplo: um grupo de 60 meses cujo valor do crédito é de R$ 30 mil e o fundo de reserva é de 2%.

2% dividido por 60 meses = 0,0333% ao mês 

0,0333% x R$ 30 mil = R$ 9,99 

Logo, o valor que o consorciado desse grupo pagará referente ao fundo de reserva é de R$ 9,99 ao mês, que será acrescido ao valor da parcela. Se o valor do crédito for atualizado, a quantia paga referente a esse fundo também será.

Todo o valor arrecadado referente ao fundo de reserva, assim como ao fundo comum, receberá ainda os rendimentos provenientes de sua aplicação financeira, conforme estabelecido em contrato.

Devolução dos recursos

Quando o grupo de consórcio se encerra, é possível que exista saldo referente ao fundo de reserva, caso ele não tenha sido totalmente utilizado pelo grupo. Nessa caso, os recursos são devolvidos proporcionalmente a todos os participantes que cumpriram com o contrato.

A cobrança do fundo de reserva deve ser vista pelo consorciado como mais uma garantia para o bom funcionamento do grupo, como explica a gerente do departamento jurídico da ABAC, Elaine Gomes: “Esse fundo permitirá que a administradora continue contemplando os integrantes do grupo mesmo em caso de adversidades”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

4 comentários sobre “Para que serve o fundo de reserva? ”

  1. Ricardo Silva disse:

    Acho muito caro os percentuais cobrados como fundo de reserva, deveria não ultrapassar 1,5%
    e as operadoras serem mais transparentes ao utilizarem o fundo de reserva, prestando contas dos valores e em que foi gasto.

    1. ABAC disse:

      Olá, Ricardo.

      Esclarecemos que o percentual contratado a título de Fundo de Reserva é diluído ao longo do prazo de duração do grupo. Exemplo: num grupo com prazo de duração de 60 meses, com Fundo de Reserva contratado em 3%, o consorciado pagará mensalmente o equivalente a 0,05 % sobre o preço atualizado do bem básico objeto do contrato. A prestação de contas de recursos do grupo é feita em cada Assembleia Geral Ordinária, inclusive quanto ao fundo de reserva.

      Abraços

  2. Alcinéia da Glória Ferreira disse:

    Gostaria de receber informações de cursos e palestras.
    Grata,
    Alcinéia

    1. ABAC disse:

      Olá, Alcineia.

      Por enquanto não temos previsão para realização de cursos e palestras. Mas continue acompanhando as redes sociais da ABAC para saber as novidades.

      Abraços