sistema-de-consorcios-dados-economicos
Publicado em 4/12/2015 as 9:11H
Drops de Mercado

Sistema de Consórcios em outubro/2015: dados econômicos

O Sistema de Consórcios, mesmo com a instabilidade econômica, continua atraindo a atenção do consumidor, que tem feito desse Sistema genuinamente brasileiro sua poupança para aquisição de bens ou contratação de serviços de valores variados. Ou seja, esse mecanismo, com uma história de mais de 50 anos no país, vem permitindo amplo acesso da população ao consumo.

Dados econômicos acumulados de janeiro a outubro deste ano apontam que o Sistema de Consórcios alcançou 1,95 milhão de novos consorciados, 3,7% mais que os 1,88 milhão atingidos no mesmo período do ano passado. Os três setores do mecanismo com mais adesões são imóveis, veículos leves e implementos rodoviários e agrícolas, com altas de 45,6%, 12% e 10,6%, respectivamente, em relação ao mesmo período de 2014.

No balanço de janeiro a outubro deste ano, o Sistema de Consórcios somou R$ 72,57 bilhões em créditos comercializados, 16,6% mais que os R$ 62,24 bilhões registrados no mesmo período do ano passado.

Confira, a seguir, um resumo do desempenho de cada setor no mês de outubro, com base em estimativas da Assessoria Econômica da ABAC. Os dados comparativos fazem referência ao período entre janeiro e outubro de 2014:

Consórcios de veículos leves: nos dez primeiros meses deste ano, o setor registrou crescimento de 7,5% no total de participantes ativos consolidados. Os demais indicadores também tiveram alta, com exceção do tíquete médio, que mostrou pequena retração. O destaque foi o aumento de 12% na venda de novas cotas, com 11,8% de crescimento no total de créditos comercializados. Ao registrar potencial participação em 25,1% nas vendas do mercado interno, o setor disponibilizou créditos equivalentes a R$ 17,54 bilhões para os diversos elos da cadeia produtiva do setor automobilístico.

Consórcios de imóveis: o acumulado de vendas de novas cotas registrou alta de 45,6%, entre janeiro e outubro deste ano, e 47,8% no volume de créditos comercializados. Com isso, o setor aproximou-se dos 800 mil participantes ativos consolidados em outubro deste ano, 3,9% acima do registrado no ano passado. Paralelamente, os indicadores de contemplações e de créditos disponibilizados também cresceram 3,1% e 7,9%, respectivamente. O tíquete médio se manteve estável.

Consórcios de motocicletas e motonetas: o setor das duas rodas, segundo maior em número de participantes ativos consolidados do Sistema de Consórcios, concluiu os dez primeiros meses do ano registrando retração em vários indicadores. Porém, a estabilidade apresentada no acumulado de contemplações de janeiro a outubro, em relação ao ano passado, apontou 61,2% de potencial participação da modalidade nas vendas do mercado interno. Esse volume correspondeu ainda a R$ 6,85 bilhões em créditos disponibilizados ao consumo, mais de 10% acima do que em 2014. Já o número de participantes ativos consolidados, as novas adesões e o tíquete médio do mês apresentaram baixa de 5,3%, 8,6% e 22%, respectivamente.

Consórcios de veículos pesados: as vendas de novas cotas apontaram crescimento superior a 10%, em especial de caminhões e de implementos rodoviários, nos dez primeiros meses deste ano em relação ao ano passado. Os acumulados de participantes ativos e de créditos comercializados cresceram 4,7% e 12,4%, respectivamente. Houve retração de 6% e de 4,1% em contemplações e créditos disponibilizados. O tíquete médio se manteve estável.

Consórcios de eletroeletrônicos e outros bens duráveis: na atual crise econômica, provocando retração em praticamente em todos os segmentos da economia nacional, o consórcio de eletroeletrônicos e outros bem móveis foi atingido e registrou seguidas reduções em seus diversos indicadores: – 12,8% nos acumulados de vendas de novas cotas, – 18,7% em contemplações, – 22,3% em volumes de participantes ativos consolidados, – 11% em créditos comercializados, – 2% em tíquete médio e – 9,8% em créditos disponibilizados.

Consórcios de serviços: Nos dez primeiros meses, o consórcio de serviços registrou altos índices de crescimento: participantes ativos consolidados (35,4%), contemplações (40,2%), créditos disponibilizados (35,2%), vendas de novas cotas (9,1%) e créditos comercializados (5%). Houve retração no tíquete médio (- 3,4%).

Sistema de Consórcios em geral

Veja os números gerais do Sistema de Consórcios entre os meses de janeiro e outubro de 2015, em relação ao mesmo período do ano passado:

Participantes ativos consolidados (consorciados em grupos em andamento)

– 7,13 milhões (outubro/2015)

– Crescimento: 1,4%

Vendas de novas cotas (novos consorciados)

– 1,95 milhão (janeiro-outubro/2015)

– Crescimento: 3,7%

Volume de créditos comercializados

– R$ 72,57 bilhões (janeiro-outubro/2015)

– Crescimento: 16,6%

Tíquete médio geral (valor médio da cota no mês)

– R$ 36,9 mil (outubro/2015)

Crescimento: 5,7%

Contemplações (consorciados que tiveram a oportunidade de comprar bens)

– 1,18 milhão (janeiro-outubro/2015)

– Crescimento: 5,4%

Volume de créditos disponibilizados

– R$ 34,04 bilhões (janeiro-outubro/2015)

– Crescimento: 9,6%

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

2 comentários sobre “Sistema de Consórcios em outubro/2015: dados econômicos”

  1. Adilson Camargo disse:

    por faixa etária qual é a idade em que se enquadram os consorciados que mais tem aderido ao segmento?
    Quem são os que mais particpam, homens ou mulheres?

    1. ABAC disse:

      Olá, Adilson. Segue perfil identificado pela pesquisa da ABAC (Perfil de Mercado & Nível de Satisfação 2014) feita com consumidores em 2013 e divulgada em 2014.Em 2016, teremos o lançamento de mais uma edição.

      Idade por segmento:
      Imóveis: 80% mais de 24 anos
      Automóveis: 60% mais de 24 anos
      Caminhões: 85% mais de 24 anos
      Motocicletas: 76% mais de 24 anos
      Eletroeletrônicos: 59% mais de 24 anos
      Serviços: 64% mais de 24 anos

      Dados do Sistema de Consórcios em geral:
      2010: 43% feminino / 57% masculino
      2012: 37% feminino / 63% masculino
      2014: 36% feminino / 64% masculino