Publicado em 24/02/2017 as 9:33H
Educação Financeira

Quatro passos para organizar seu orçamento pessoal

Você mantém seu orçamento pessoal organizado? Se sua resposta é “não”, veja como organizar seu orçamento para planejar compras, prever situações de risco, priorizar gastos e identificar onde está havendo desperdício.

Elaborar um orçamento não é complicado e te oferece vários benefícios (leia Por que devo manter meu orçamento organizado?). Com apenas alguns minutos do seu tempo e seguindo quatro passos simples, você poderá elaborar seu orçamento pessoal e desfrutar de todas as vantagens de uma vida financeira mais equilibrada. Saiba como:

1º Passo – Anotar suas despesas

Comece separando uma pequena parte do seu tempo para anotar todos os seus gastos diários. Em seguida, faça disso um hábito. Não se preocupe em detalhar todos os gastos, comece apenas com o quê e onde gastou, a quantia gasta e o meio de pagamento utilizado – se cheque, dinheiro, cartão ou outros.

2º Passo – Agrupar despesas

No decorrer do mês, você tanto pode receber receitas de diversas fontes, quanto gastar dinheiro em diversos produtos e serviços. Por isso, defina uma regularidade – uma vez por semana, por exemplo – para agrupar essas despesas e receitas em categorias. Dessa forma, será possível identificar ao fim do mês em seu orçamento pessoal exatamente de onde seu dinheiro vem e, principalmente, como ele foi gasto. Sugestão: gastos com conta de luz, gás e aluguel podem ser agrupados numa categoria chamada “Habitação”; já supermercado, padaria e feiras podem ser agrupados como “Alimentação”. Outras possibilidades de agrupamento são “Saúde”, “Educação”, “Transporte”, “Vestuário”, “Lazer” e “Financeiro”. Faça esses agrupamentos do modo que lhe for mais conveniente.

3º Passo – Seja prudente

Nesse caso, ser prudente significa gastar de acordo com o que ganha, mesmo que para isso seja necessário modificar seus hábitos. Depois de anotar receitas e despesas, e de agrupá-los por categorias, seu orçamento pessoal passa a oferecer um retrato fiel de como você adquire renda e como gasta ao longo do mês. Em seguida, analise os resultados. Você está recebendo o suficiente para cobrir suas despesas? Se não, você deve buscar alternativas que reduzam em aumento de receitas, diminuição de despesas, ou ainda fazer as duas coisas. Com o orçamento pessoal organizado e tendo em mente que o objetivo é que suas despesas sejam sempre menores que suas receitas, você pode identificar onde está havendo desperdício ou quais são seus gastos menos importantes.

4º Passo – Planejar o mês seguinte

Seguindo os passos anteriores, você terá condições de estimar suas receitas e despesas do próximo mês. Use o orçamento pessoal do mês anterior para elaborar o do mês seguinte, seguindo a mesma lógica: agrupando por categorias e mantendo o objetivo de gerar receitas maiores que despesas. Não se preocupe se nos primeiros meses você se sentir um perdido ou as estimativas não forem acertadas, o que é normal quando não temos o hábito de controlar nosso orçamento pessoal. A simples mudança de hábito e a decisão de manter o orçamento organizado fará com que, aos poucos, você descubra como e o quanto gastou ao longo do mês.

Lembre-se: seu objetivo é gastar menos do que você recebe. Portanto, administre seu orçamento pessoal no sentido de atingir essa meta.

Esse texto foi escrito com informações do projeto “Cidadania Financeira”, do Banco Central (BC).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*