Publicado em 8/09/2016 as 11:00H
Educação Financeira

Necessidade e desejo: você sabe identificar?

Ao fazer escolhas, é fundamental saber distinguir necessidade e desejo. Necessidade é tudo aquilo de que precisamos e que é indispensável para nossa vida. Desejo é tudo aquilo que queremos ter ou usufruir, sendo necessário ou não. Por exemplo: a alimentação é indispensável para a vida e independe da nossa vontade. Logo, alimentação é uma necessidade. Agora, querer se alimentar em um restaurante de luxo desfrutando de pratos finos, isso é um desejo. Mesmo que você esteja satisfazendo sua necessidade de alimento, a forma como almejou satisfazer tal necessidade foi um desejo.

Gerir nosso próprio dinheiro depende de um pouco de técnica e de muito bom senso. Desejos não são ruins, pois nos dão prazer e nos mostram o que queremos para o futuro. O problema é quando começamos a tratar desejos como se fossem necessidades e nos colocamos em situação de difícil controle, porque os desejos não são limitados, mas os recursos sim.

Ao tratarmos desejos como necessidades, é impossível alcançarmos uma boa saúde financeira, podendo, até mesmo, darmos início a um processo de endividamento excessivo. Por isso o bom senso é tão importante: devemos satisfazer nossas necessidades e, na medida do possível, atender a nossos desejos.

Ao lidar com seus recursos financeiros, tenha sempre em mente que dinheiro é um mero instrumento para atender a necessidades e desejos e que por isso você deve saber administrá-lo bem. Saiba identificar suas necessidades e desejos, pesando nos custos da impaciência e nas recompensas de amanhã por saber esperar hoje. Colocando esses ensinamentos em prática, você estará criando uma base sólida para erguer uma vida financeira saudável – é isso que chamamos de “educação financeira”.

Mão na massa

  • Eduque-se financeiramente. É comum achar que sabemos mais sobre o uso do dinheiro do que realmente sabemos.
  • Faça escolhas equilibradas. Não seja excessivamente emocional, a fim de evitar as decisões impulsivas e momentâneas, mas não seja extremamente racional a ponto de retirar o prazer de consumir.
  • Pense no futuro. Leve em consideração os efeitos das escolhas que fazemos hoje sobre nossas vidas amanhã.
  •  Saiba diferenciar necessidade e desejo. Tanto uma quanto o outro são importantes para nós. Confundir esses dois conceitos pode trazer sérios problemas financeiros.

Tenha sempre em mente que a vida é feita de escolhas, e isso também é verdade em relação ao aspecto financeiro. Conheça-se, eduque-se e leve uma vida financeira sossegada.

Esse texto foi escrito com informações do projeto “Cidadania Financeira”, do Banco Central (BC).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*