Publicado em 25/05/2017 as 15:28H
Educação Financeira

As grandes causas do endividamento

Contas, contas e mais contas. Às vezes fica difícil lidar com tantas dívidas assumidas e o resultado é preocupante, causando muitas noites mal dormidas. No post de hoje, você vai entender os motivos que levam ao endividamento excessivo e saber qual o primeiro passo para superar essas adversidades.

Os motivos que levam uma pessoa a se endividar são os mais diversos. O primeiro deles é a falta de planejamento e de controle dos gastos, tanto dos mensais como dos que ocorrem algumas vezes por ano. Outro motivo bastante comum é o uso inadequado do crédito, como cheque especial, cartão de crédito, crédito consignado, financiamentos e outros empréstimos.

Também as sedutoras propagandas geram impulsividade para o consumo e compras não planejadas. Para conhecer as estratégias do mercado para te fazer consumidor mais, leia também nosso post Resistir a ofertas e promoções: você consegue! Também vale a pena ler Compra por impulso: caminho para endividamento.

O excesso de compras a prazo é outra grande causa do endividamento, pois você acaba comprometendo a renda com parcelas. Muitas vezes, você gasta a renda que ainda nem recebeu, ou tem seus ganhos reduzidos, mas não reduz os gastos.

Por fim, despesas emergenciais, imprevistas ou de força maior, como perda de emprego, doença em pessoa da família, e o pouco conhecimento no trato com o dinheiro são outros fatores que podem gerar ou agravar problemas financeiros.

O que pode acontecer?

As consequências do endividamento começam a ser percebidas quando fica difícil honrar os compromissos, como os gastos do dia a dia e as dívidas que você já fez. A incidência de juros pode gerar até mesmo a perda do seu patrimônio, obrigando você a vender bens que já possui para ajudar a quitar as dívidas.

Junto com o comprometimento dos recursos, também vêm as consequências de natureza moral, como o comprometimento da qualidade de vida pessoal, estresse adicional, desentendimentos familiares, além de restrições cadastrais.

Então, o que fazer?

Existem diversas maneiras de sair do endividamento. A primeira iniciativa é simples: tomar consciência da situação de endividamento ou de superendividamento. Use instrumentos simples, como uma folha de papel, lápis e, se puder, uma calculadora. Mapeie e liste todas as suas dívidas. Listadas as dívidas, é hora de partir para a ação. Para isso, leia nosso post Sete passos para pagar dívidas e mãos à obra!

Esse texto foi escrito com informações do projeto Cidadania Financeira, do Banco Central.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*