Publicado em 9/02/2018 as 11:10H
Educação Financeira

Educação Financeira: brasileiro não tem hábito de poupar

Embora 64% dos brasileiros afirme pagar suas contas em dia, 56% dos entrevistados assumiram não fazer orçamento doméstico ou familiar, e 69% afirmaram não ter poupado nenhuma parte da renda recebida nos últimos 12 meses. Isso é o que mostra o estudo de uma pesquisa do Banco Central do Brasil em parceria com a Serasa Experian e o Ibope.

O estudo revela que, mesmo tendo a intenção de equilibrar o orçamento, o consumidor, na prática, se comporta de forma contraditória. Poucos têm o hábito de poupar, e os que poupam guardam apenas pequena parte da renda. A falta de hábito de poupança atinge todas as faixas etárias, principalmente nas faixas de renda inferiores, resultando em baixa capacidade de arcar com despesas imprevistas.

Dos 31% que pouparam parte da renda, mais da metade guardou menos do que 10%; 30% pouparam entre 11% e 20% da renda; 12%, entre 21% e 30% dos vencimentos; e apenas 5% afirmaram ter poupado mais de 31% do dinheiro recebido nos últimos 12 meses. Segundo o estudo, esse resultado indica que, além de o percentual de poupadores ser baixo, a parte da renda reservada à poupança não é elevada.

Os participantes responderam ainda perguntas para mensurar o conhecimento sobre educação financeira. Apesar do histórico de inflação do país, o tema inflação foi um dos que apresentaram o menor percentual de acerto. Apenas 27% das respostas em relação a esse tema estavam corretas. O maior grau de precisão das respostas foi para questões relacionadas a orçamento familiar (90%), direito do consumidor (92%) e juros no cartão (92%).

A ABAC e a Educação Financeira

Fazer o consumidor avaliar aquilo que cabe no orçamento, sempre com a necessidade de poupar em mente, é um dos principais desafios do Programa Cidadania Financeira, do Banco Central. Segundo o diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania do BC, Isaac Sidney, “o foco do BC moderno é o bem-estar financeiro da população, o que contribui para a estabilidade do sistema financeiro e o desenvolvimento econômico sustentável do país”.

Isaac Sidney explica que esse é um trabalho de longo prazo que requer foco e dedicação. E que, por isso, o BC tem difundido ações de educação financeira em todo o Brasil por meio de parcerias com entidades públicas e privadas.

A ABAC é uma dessas parceiras. Comprometida com o crescimento sustentável do Sistema de Consórcios e com a realização dos planos dos milhões de consorciados pelo País, a entidade vem contribuindo para a difusão da educação financeira. Planejamento, controle de gastos, orçamento pessoal e familiar, são alguns dos temas constantemente abordados nos canais de comunicação da entidade.

E, em breve, a ABAC terá mais uma novidade: uma cartilha mostrando como a educação financeira pode melhorar a sua vida e te tirar da corda bamba. Enquanto aguarda este lançamento, aproveite para saber mais sobre o assunto aqui no Blog da ABAC!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*