Publicado em 18/05/2017 as 11:31H
Educação Financeira

Decisões de consumo: consciente x consumista

Todas as nossas decisões de consumo afetam os recursos naturais disponíveis no planeta, que são imprescindíveis para a vida na Terra. Consumir com consciência é consumir diferente, tendo no consumo um instrumento de bem estar e não um fim em si mesmo e levando suas consequências em médio e longo prazo.

O consumo consciente traz vantagens não apenas ambientais e sociais, como econômicas. Ao incorporar às escolhas de consumo questões como modo de produção, quantidade e qualidade das matérias-primas, tipo e qualidade de mão de obra, produção de resíduos e outros aspectos relevantes para o meio ambiente e para a sociedade, estamos ampliando o conceito de educação financeira.

Isto é consumo consciente e sustentável: adquirir produtos e serviços ambientalmente corretos, com o mínimo de impacto sobre o meio ambiente, que possam ajudar a construir uma sociedade mais justa e, claro, que sejam economicamente compatíveis com a situação financeira do consumidor.

Um exemplo é dar preferência a frutas produzidas no local e da safra, portanto, mais baratas, favorecendo produtos que não consumiram energia para serem conservados e transportados. Outro é usar sacolas ecológicas (reutilizáveis), cujas opções são bem mais elegantes que as de plástico, que levam mais de 200 anos para serem degradadas nos aterros. Também podemos contribuir para a sustentabilidade ao reduzir o consumo desnecessário, evitando desperdícios e a produção excessiva de lixo. Adote os 3 Rs: Reduza, Reutilize e Recicle – isso fará bem ao seu bolso e ao meio ambiente!

Consumo consciente é buscar o equilíbrio entre ter o que você precisa e ser um consumidor social, ambiental e economicamente sustentável. Na tabela abaixo você verá a diferença entre um consumidor consciente e um consumidor consumista, que age sem se planejar e por impulso. 

Consumidor consumista

Consumidor consciente

Gasta compulsivamente. Planeja e, com isso, compra menos e melhor.

 

Pensa apenas em si próprio. Avalia os impactos do seu consumo para o meio ambiente e a sociedade.

 

Compra tudo o que deseja. Compra apenas o necessário.

 

Joga embalagens e produtos velhos ou danificados no lixo. Reutiliza produtos e embalagens. Não compra outra vez o que pode consertar, transformar e reutilizar.

 

Descarta todo o lixo de forma igual. Separa o que lixo orgânico do que é reciclável e dá a destinação correta, colaborando para a reciclagem e para a economia de recursos naturais, a redução da degradação ambiental e a geração de empregos.

 

Gasta mais do que pode pagar. Pensa bem se o que você vai comprar a crédito não pode esperar e certifica-se de que poderá pagar as prestações.

 

Só busca preço e qualidade do produto. Valoriza as práticas de responsabilidade das empresas para com funcionários, sociedade e meio ambiente.

 

Não se preocupa se o produto é pirata ou contrabandeado. Não compra produtos piratas e contrabandeados, mesmo os mais baratos, contribuindo para gerar empregos estáveis e para combater o crime organizado e a violência.

 

Desperdiça: deixa torneira aberta sem usar a água, lâmpada acessa sem estar no ambiente, aparelhos elétricos e eletrônicos ligados sem estar em uso etc. Evita desperdícios e utiliza efetivamente o que compra.

 

Orienta-se pelo status. Orienta-se por um estilo de vida saudável.

 

Faz “shopping terapia”. Satisfaz necessidades.

 

É imediatista e não se preocupa com o futuro. É previdente e sabe que o futuro é consequência das escolhas de hoje.

 

E aí, que tipo de consumidor é você: consumista ou consciente?

Fonte: projeto “Cidadania Financeira”, do Banco Central, e Instituto Akatu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*