Publicado em 24/08/2017 as 17:00H
Dicas da ABAC

Planejamento financeiro leva consumidores ao consórcio

Fazer um bom planejamento financeiro requer mudanças em sua forma de consumir. Grandes metas, como comprar imóvel, carro ou fazer uma cirurgia plástica, passam a acontecer de modo planejado. Nesse sentido, tem crescido a percepção do consórcio como um forte aliado.

Embora o planejamento financeiro seja uma prática já reconhecida pelos consumidores, em pesquisa do SPC Brasil, apenas metade (51%) relatou fazer um controle sistemático de seu orçamento. Porém, entre os consorciados, a realidade é um pouco diferente. Pesquisa realizada pela ABAC em julho de 2017, por intermédio da Quorum Brasil, mostra que oito em cada dez consorciados (82%) planejaram a adesão ao consórcio. Em relação aos 67% registrados em 2016, a alta chega a 15 pontos percentuais.

Os entrevistados também foram questionados sobre as razões da escolha do consórcio para adquirir bens ou contratar serviços.  Para 38,3%, o atrativo principal foi o valor da parcela. Esse dado evidencia que o consórcio é uma escolha atrativa para quem realiza o planejamento financeiro adequado. Assumir compromissos financeiros dentro de suas capacidades é um dos princípios da educação financeira .

Outros atrativos apontados pelos consorciados ativos foram a garantia da entrega do bem, com 12,6%, facilidade de retirar o bem, com 11,2%, e boa imagem da marca, com 9.6%. Em último lugar, apareceu a taxa de administração ou custo do consórcio, apontado por 5,7%. O baixo índice demonstrou que não se trata de item decisivo para a adesão. Quando questionados se fizeram bom negócio ao comprar um consórcio, 64% relataram que sim. Uma parcela de 26%, formada basicamente por não contemplados, mencionou que estão “em dúvida”.

Internet é aliada do planejamento financeiro

Na hora de buscar informações sobre o Sistema de Consórcios, a internet tem sido a principal aliada. A forma mais utilizada para acessar a rede é o celular. Mais da metade (52%) relatou que acessou através do aparelho. Esse percentual sobe para 76% entre os jovens de até 29 anos, reduzindo gradualmente nas demais faixas etárias. Depois do celular, as formas mais utilizadas são notebook/PC, por 46%, e tablet, por 2% dos entrevistados.

A pesquisa identificou ainda o papel das redes sociais para a informação, formação de opinião e indução ao consumo. Quase dois terços (63%), relataram que o alcance das redes sociais pesou na decisão da identificação da administradora. Da mesma forma, elas contribuíram para o convencimento sobre a não recomendação de uma marca, para 69% dos entrevistados.

A pesquisa da ABAC ouviu 1.405 consorciados e potenciais consorciados em oito cidades no país. O objetivo foi traçar um perfil dos participantes do Sistema de Consórcios, buscando ainda detectar as razões que os levaram a investir e optar pela modalidade para adquirir bens ou contratar serviços.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*