fbpx

O que é autofinanciamento?

19 . fev . 2020

Você já deve ter ouvido falar que consórcio é uma forma de autofinanciamento. Mas você já parou para pensar no que isso quer dizer?

Primeiro, vamos entender o que é financiamento.

De acordo com o Banco Central do Brasil (BCB), financiamento é um contrato entre o cliente e uma instituição financeira (banco, cooperativa de crédito, caixa econômica) pelo qual ele recebe uma quantia em dinheiro para uma destinação específica, como a aquisição de um veículo ou um imóvel.

Esse valor deverá ser devolvido em prazo determinado, acrescido dos juros acertados. As taxas variam de banco para banco, não havendo limites para as taxas cobradas.

Mas e o autofinanciamento?

“Auto” significa aquilo que é próprio ou que funciona por si mesmo. Logo, autofinanciamento significa financiar a si mesmo. Exatamente como acontece no consórcio.

O consórcio se baseia na união de pessoas (físicas ou jurídicas) que contribuem mensalmente para a formação de um capital comum. Essa poupança, chamada de “fundo comum”, é utilizada por todos os participantes do grupo para a aquisição do bem ou serviço desejado, em ordem definida por sorteio e lance.

Logo, os créditos atribuídos aos consorciados são formados com recursos dos próprios participantes do grupo. É por esse motivo que consórcio não tem juros. Nele, paga-se uma taxa de administração, que é a remuneração da administradora pela formação e gestão do fundo comum do grupo, com o objetivo de garantir que todos recebam o crédito contratado.

Para saber tudo sobre essa modalidade de acesso ao crédito para a compra de bens ou a contratação de serviços, baixe agora, gratuitamente, o Guia Consórcio de A a Z.

Ou acesse:


Categoria(s):

Consórcio de A a Z

Tag(s):

, , ,

2 Comentários

  • Se fazer um auto financiamento de 250 mil para comprar um imóvel no valor de 215 mil eu posso resgatar o valor restante em espécie!

    • Deise,

      Caso você compre um bem com preço inferior ao valor do seu crédito, a diferença poderá ser utilizada para: (i) pagamento de obrigações financeiras, vinculadas ao bem ou serviço, observado o limite total de 10% do valor do crédito objeto da contemplação, relativamente às despesas com transferência de propriedade, tributos, registros cartoriais, instituições de registros e seguros; (ii) quitação das prestações vincendas na forma estabelecida no contrato e (iii) devolução do crédito em espécie ao consorciado quando seus obrigações financeiras, para com o grupo, estiverem integralmente quitadas. Recomendamos a leitura da postagem “Comprar bem de menor valor que o crédito do consórcio” publicada no próprio site da ABAC – https://blog.abac.org.br/consorcio-de-a-a-z/comprar-bem-de-menor-valor-que-o-credito-do-consorcio.

      Um abraço!

Deixe seu comentário

*

Receba novidades



ENVIE SUGESTÕES
DE POSTAGENS